Impactos da pandemia: ANS aponta que pelo menos 254,5 mil clientes das operadoras não conseguiram manter seus planos de saúde ativos.

O aumento nos índices de cancelamentos dos planos de saúde ocorreu após o mês de abril e se deve principalmente, à alta taxa de demissões e impacto econômico. O setor ainda possui mais de 46,7 milhões de clientes ativos.

De acordo com uma informação do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), houve redução no número de beneficiários entre os meses de abril e junho de 2020.

Este segmento conta atualmente com 46.758.762 ativos, de acordo com a ANS, apesar dos 0,5% de diminuição, atribuídos à pandemia do novo coronavírus. Em um quadro comparativo até o mês de julho em relação ao ano anterior, houve uma perda de 0,2%, correspondente à aproximados 112,244 mil usuários.

Entretanto, uma nova comparação acerca do mês de julho de 2019 a julho de 2020, a divergência entre adesão e desistência mostrou-se positiva em 35.558 usuários, o que pode indicar uma leve estabilização econômica do mercado nacional após o baque da pandemia.

Há ainda algumas correções à serem feitas pelas operadoras de saúde para com a ANS sobre os novos contratantes ou desistentes, conforme ressalta José Cechin, superintendente executivo do IESS.

Impacto econômico em diversos setores.

Cechin atribui a alta nos níveis de cancelamento às demissões e cortes nos setores econômicos de todo o país, ocorrido desde o início da pandemia. Uma grande parte dos planos de saúde encontra-se em modalidade empresarial, ou seja, são ofertados aos colaboradores e funcionários desse setor, de forma que o impacto no índice de cancelamentos e adesões irá depender majoritariamente da situação financeira das empresas contratantes.

Em julho, uma porcentagem de 80,7 do total, referente a 37,7 milhões de clientes, possuía plano de saúde médico-hospitalar, onde:

  • 83,5%: modalidade coletiva empresarial;
  • 16,5%: modalidade coletiva por adesão própria.

O único grupo que apresentou aumento entre julho e abril de 2020 e a julho do ano anterior foi o dos indivíduos com pelo menos 59 anos de idade ou mais do que isso, totalizando 34,463 mil novos usuários, alta de 0,5%.

O IESS retrata, ainda, que a queda mais elevada, em números inteiros, dos clientes de planos de saúde hospitalares entre julho de 2019 e julho de 2020 aconteceu no estado de São Paulo (50,289 mil), enquanto Goiás teve alta de 30,334 mil usuários.

As informações são do site de notícias Uol.

Anteriormente, já falamos sobre a obrigatoriedade de cobertura do exame de detecção do coronavírus pelos planos de saúde. 

Mantenha-se informado sobre o setor da saúde no Brasil, siga nosso blog e acompanhe nossas postagens!

Posts Relacionados

Fechar Menu

Fale Conosco

Fale pelo Telefone

(19) 3231 5650

Fale pelo Whatsapp

(11) 9 4900 9364