Ministério Público instaura inquérito para apurar como é realizado o tratamento de autistas nos planos de saúde brasileiros.

O MP de Londrina solicitou a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) informações acerca de como são conduzidos os tratamentos de autistas por operadoras de planos de saúde no Brasil. Foram solicitados esclarecimentos após denúncias feitas por pais de crianças diagnosticadas com TEA (Transtorno do Espectro Autista) que tiveram negadas, entre outras, suas consultas de fisioterapia, parte fundamental no tratamento  de pacientes que tem sua mobilidade comprometida.

A iniciativa de acionar o Ministério Público Federal veio do Instituto Marinagaense de Autismo (IMA), funda em 2018. Michele Palna, coordenadora da instituição, disse que a ideia veio de outros pedidos semelhantes feitos São Paulo e Goiás.

Michele explica que “nesses locais, os procuradores federais entraram com ações cobrando o atendimento dessas empresas. Em alguns casos, houve até condenação. Como essas situações já existem, acreditamos que o mesmo poderia acontecer no Paraná”.

Informações fornecidas pelo site Bonde.

Notícias Relacionadas:

Os planos de saúde são obrigados a cobrir todas as terapias e tratamentos indicados por um médico, caso você ou algum familiar tenha tido negado a cobertura de um procedimento procure imediatamente um especialista em Direito de Saúde. O escritório Sinhorini Advogados está aqui para te auxiliar.

 

Posts Relacionados

Fechar Menu